Notícia

Em mais uma manifestação de truculência, intransigência, absoluto desrespeito com a atividade jornalística e a liberdade de imprensa e de expressão, um homem com adesivos de um candidato bolsonarista agrediu verbalmente o jornalista Gabriel Landim e o cinegrafista Humberto Campos, da TV Integração, durante cobertura da Festa Alemã em Juiz de Fora. Os profissionais foram impedidos de exercer suas funções e só conseguiram realizar a gravação com escolta policial.

 

O Sindicato dos Jornalistas Profissionais de Juiz de Fora repudia as agressões e a intimidação contra os dois profissionais. A cada vez que jornalistas e cinegrafistas sofrem violência por exercer seu ofício, a liberdade de expressão é atacada e um dos pilares da democracia se abala. Respeitar o exercício profissional do jornalismo é respeitar o direito fundamental de acesso a informações, que é de toda a sociedade.

 

Sindicato dos Jornalistas Profissionais de Juiz de Fora

Eleição do Sindicato: chapa única se inscreve para a diretoria, comissões de Ética e Liberdade de Imprensa

Encerrado o prazo para inscrições de candidaturas para a próxima gestão do Sindicato dos Jornalistas Profissionais de Juiz de Fora e para as comissões de Ética e Liberdade de Imprensa. A Comissão Eleitoral registrou apenas uma chapa se candidatando para concorrer (veja abaixo), e os critérios para inscrição desta chapa foram preenchidos, de acordo com o estatuto da entidade.

A eleição será realizada no dia 23 de maio (segunda-feira).

Chapa 1

Diretoria:
Presidente Leonardo da Silva Costa
Vice-presidente Renato de Paula Salles
Secretário-geral Maycon Firmino Chagas
Primeiro secretário Moyses Valle
Segundo-secretário Bruno Costa Ribeiro
Primeiro-tesoureiro Ricardo Alexandre Nogueira Miranda
Segunda-tesoureira Cristiane Hubner

Suplentes
Priscilla Chandretti
Davi Carlos Acacio
Wallace Mattos
Gracielle Nocelli
Gabriela Calazans
Renata Miranda Valle
Anna Virginia Nascimento Silva

Conselho Fiscal:
Presidente Ricardo Alexandre Nogueira Miranda
Gracielle Nocelli
Erika de Almeida Winter Del Valle

Comissão de Ética e Sindicância:
Presidente Wallace Mattos
Táscia Oliveira Souza
Gabriela Calazans

Comissão de Liberdade de Imprensa:
Presidente Maycon Firmino Chagas
Secretário Bruno Costa Ribeiro
Renata Miranda Valle
Davi Carlos Acacio
Anna Virginia Nascimento Silva

Delegação ao Conselho de Representantes da FENAJ
Priscilla Chandretti
Renato de Paula Salles

ELEIÇÕES PARA DIREÇÃO DO SINDICATO

O SINDICATO DOS JORNALISTAS DE JUIZ DE FORA – EDITAL DE CONVOCAÇÃO – ELEIÇÕES PARA O SJPJF (TRIÊNIO 2022-2025)

A Comissão Eleitoral do Sindicato dos Jornalistas Profissionais de Juiz e Fora (SJPJF) – CNPJ 20.453.643/0001-06 -, eleita em Assembleia Geral realizada no dia 13 de abril de 2022, para conduzir o processo eleitoral que renovará a Diretoria, o Conselho Fiscal e a Comissão de Ética do SJPJF para o triênio 2022-2025, realizou sua primeira reunião no dia 14 de abril de 2022, quando definiu:

 

As eleições sindicais vão se realizar no dia 23 de maio de 2022 por voto presencial e direto dos associados que estiverem em gozo de suas obrigações sindicais, validadas de acordo com os dados constantes no cadastro de associados, na sede do Sindicato na Rua Halfeld, nº 805, sala 603, das 9h30 às 16h30. A apuração dos votos será feita após o encerramento da votação.

 

O Regimento Eleitoral elaborado pela Comissão Eleitoral, na forma do art.49 do Estatuto do SJPJF, estabelece que, conforme determina art. 46, são condições para o exercício do direito de votar em eleição no Sindicato: I – desfrutar da condição de associado há pelo menos 6 (seis) meses antes da data da eleição; II – estar no gozo dos direitos conferidos por este Estatuto; III – ter quitado as mensalidades e a contribuição sindical.

 

Edital completo de convocação para processo eleitoral do SJPJF

8 de Março – Ontem, hoje e sempre: Lute como uma jornalista!

Pelo segundo ano consecutivo, nós mulheres estivemos na linha de frente no combate à pandemia de Covid-19. Somos a maioria da classe trabalhadora em diversas áreas consideradas essenciais, inclusive no Jornalismo.

 

No entanto, continuamos sendo, em especial as mulheres negras, as que recebem menos, as que ocupam menos cargos de chefia, as que estão mais expostas ao assédio moral e sexual e às demais violências relacionadas ao nosso trabalho.

 

Um monitoramento realizado pela Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji), financiado pela Unesco e que teve o apoio da Federação Nacional dos Jornalistas (FENAJ), mostrou que, no ano passado, nós fomos os principais alvos de casos de violência de gênero contra profissionais da imprensa. Foram registrados 119 casos contra 89 jornalistas (algumas foram agredidas mais de uma vez). Desse total, 91,6% dos casos tiveram como alvo mulheres jornalistas.

 

Fomos, também, assim como as demais mulheres da classe trabalhadora, as mais afetadas pela crise sanitária, econômica e social que se aprofundou desde 2020. Sofremos com a sobrecarga de trabalho, com as duplas, às vezes triplas, jornadas; com o teletrabalho em condições precárias acumulado às demandas domésticas e de cuidado; com o desemprego; com a carestia.

 

Vivemos ainda o constante ataque do governo genocida de Jair Bolsonaro, e de seus aliados nos estados e municípios, aos nossos direitos sociais, sexuais e reprodutivos, com desmonte de políticas públicas voltadas para a nossa Saúde, para o combate à violência doméstica, de gênero e à LGTfobia.

 

Diante de tanta precarização das nossas condições de trabalho e vida, a Comissão de Mulheres Jornalistas da FENAJ adotou como tema para marcar o Dia Internacional de Luta das Mulheres – 8 de março de 2022, “Trabalho decente e sem violência para as jornalistas – pela Convenção 190 da OIT”.

 

Lutamos para viver em um país que pare de nos matar, violentar e usurpar nossas liberdades e direitos. Exigimos trabalhar em segurança e com condições decentes, para que possamos continuar fazendo do Jornalismo um instrumento de defesa da democracia, de transformação social e de combate às opressões.

 

Neste sentido, a Convenção 190 traz avanços importantes, como ampliar o entendimento do que seja violência e assédio e tratá-los não apenas no local de trabalho mas no mundo do trabalho. A Convenção 190 avança mais ao eleger a igualdade de gênero como pilar do trabalho decente, imprescindível à dignidade das trabalhadoras.

 

Seguiremos na linha de frente da resistência contra todos que atacam nossos direitos e liberdades democráticas. Por isso, neste 8 de Março, nós também reivindicamos nosso direito a uma vida melhor  e reverenciamos oito mulheres que fizeram história no jornalismo brasileiro para nos inspirar e impulsionar para as lutas e desafios que se colocam em nosso horizonte.

 

Ontem, hoje e sempre: Lute como uma jornalista!

 

Pela vida das mulheres, Bolsonaro nunca mais! Por um Brasil sem machismo, racismo e fome.

 

Brasília, 8 de março de 2022

 

Comissão de Mulheres Jornalistas da FENAJ

 

Diretoria da Federação Nacional dos Jornalistas – FENAJ

Sindicato conquista valorização salarial para jornalistas de carreira da Câmara

As jornalistas profissionais do quadro efetivo da Câmara Municipal de Juiz de Fora tiveram uma boa notícia nesta quinta-feira, dia 30 de setembro. Após várias rodadas de negociações intermediadas pelo Sindicato dos Jornalistas Profissionais de Juiz de Fora, o comando da Mesa Diretora do Poder Legislativo municipal tornou público um projeto de lei que irá garantir a equiparação salarial das profissionais aos demais servidores de Ensino Superior concursados da Casa.

 

A equiparação, todavia, ainda depende da aprovação em plenário do projeto de lei.  Até lá, a situação seguirá sendo monitorada pela direção do Sindicato.

 

A equiparação salarial é uma das reivindicações que integram pauta levada pelo Sindicato dos Jornalistas Profissionais de Juiz de Fora ao atual comando da Mesa Diretora da Câmara. As conversas foram tratadas diretamente com o presidente da Casa, Juraci Scheffer que já havia sinalizado a possibilidade de aplicar a isonomia salarial, o que deve acontecer a partir de Janeiro de 2022.

 

Desde 2019, quando começaram a ser contratadas pela Câmara as jornalistas aprovadas em concurso público, as profissionais recebiam um salário 25% menor que os vencimentos de outros servidores de carreira da Casa, aprovados em seleção pública para vagas de Ensino Superior. A justificativa para a discrepância era a jornada especial dos jornalistas, definida pela legislação trabalhista vigente.

 

A direção do Sindicato foi representada nesta reunião por seu presidente, o jornalista Renato Salles; o secretário-geral, Leonardo Costa; e o diretor Maycon Chagas. “É uma conquista não só das jornalistas da Câmara, mas de toda a categoria”, destacou Renato.

 

Para um dos diretores do sindicato, Maycon Chagas, a equiparação salarial reafirma o direito que dá categoria e reforça as próximas lutas que a categoria terá pela frente ” Queremos que essa vitória seja acompanhada por outras. A comunicação pública de Juiz de Fora é quem mais ganha com a valorização e o respeito aos direitos das servidoras jornalistas da câmara. E esperamos que mais concursos públicos ocorram no legislativo municipal. Assim ele cada vez mais estará servindo da forma que esperamos a nossa cidade”

Etapa Sudeste do seminário “Jornalismo, sim!” acontece hoje. Inscreva-se!

A etapa Sudeste do Seminário on-line da Federação Nacional dos Jornalistas (FENAJ) e de seus sindicatos filiados “Jornalismo, Sim” acontece nessa quarta-feira, dia 28 de julho, às 20 horas. O evento, que tem apoio da Union to Union e da Federação Internacional dos Jornalistas (FIJ), nessa fase, reunirá jornalistas que atuam nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito Santo e Minas Gerais.

 

O objetivo da série de seminários é debater com a categoria a proposta da entidade de taxação das grandes plataformas digitais por meio da criação de uma Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico (CIDE) , um imposto especial que permite sua destinação para a constituição do Fundo de Apoio e Fomento ao Jornalismo.

 

As inscrições para participar da sala de debate virtual devem ser feitas pelo link https://us02web.zoom.us/webinar/register/WN_rx08y8foRmWvzexXxl0UJA.

 

Os inscritos vão receber certificados de participação. O evento será coordenado pela vice-presidente Sudeste da FENAJ, a jornalista Márcia Quintanilha.

 

Debatedores

 

Maria José Braga – jornalista do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia. Graduada e mestre em filosofia pela Universidade Federal de Goiás. Tem experiência na área de Comunicação, com ênfase em Jornalismo Especializado (Comunitário, Rural, Empresarial, Científico).

 

Paulo Moreira Leite – Jornalista há 50 anos. Foi o primeiro editor do jornal “O Trabalho”. Trabalhou na Veja por 17 anos (da qual foi redator-chefe e correspondente em Paris). Desde 2014, trabalha no Brasil 247.

 

Roseli Fígaro – professora livre-docente na Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo. Coordenadora do Programa de Pós-graduação em Ciências da Comunicação e do Centro de Pesquisa em Comunicação e Trabalho (CPCT-USP/CNPq). Coordenadora de várias pesquisas: As mudanças no mundo do trabalho dos jornalistas (2013); As relações de comunicação e as condições de produção no trabalho de jornalistas em arranjos econômicos alternativos às corporações de mídias (2018); Como trabalham os comunicadores durante a pandemia de Covid-19? (2020); Discurso jornalístico e condições de produção em arranjos econômicos alternativos às corporações de mídia (2021 no prelo); Como trabalham os comunicadores no contexto de um ano da pandemia de Covid-19? (2021).

 

Sobre os seminários regionais

 

A FENAJ e os seus sindicatos filiados estão debatendo, com a categoria e com a sociedade, a implementação no país da Plataforma Mundial por um Jornalismo de Qualidade, iniciativa apresentada pela FIJ, que. prevê o desenvolvimento do jornalismo, por meio da criação de formas de financiamento direto para a produção jornalística, a partir da taxação das grandes plataformas digitais.

 

Depois de debater o tema inicialmente com especialistas, a FENAJ chegou à proposta de taxação das grandes plataformas digitais por meio da criação de uma Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico (CIDE), um imposto especial que permite sua destinação a determinado fim, no caso, à constituição do Fundo de Apoio e Fomento ao Jornalismo.

 

A Federação espera difundir sua proposta para a categoria, conquistar apoio de outros segmentos da sociedade civil e encaminhar ao Congresso Nacional dois projetos de lei: um para a criação da CIDE e outro para criação e regulamentação do Fundo de Apoio e Fomento ao Jornalismo. Para isso, está realizando os seminários on-line, em todas as regiões do país (Norte, Nordeste, Centro-Oeste, Sudeste e Sul).

 

Os debates também serão transmitidos pelas redes sociais da FENAJ e dos sindicatos filiados.

 

Programação dos Seminários com jornalistas (horário de Brasília)

(Para se inscrever, basta clicar no link da sua região)

 

Região Sudeste – 28 de julho – quarta-feira – 20h

 

Região Centro-Oeste – 29 de julho – quinta-feira – 20h30

 

Região Nordeste – 3 de agosto – terça-feira –20h

 

Seminário on-line com entidades da sociedade civil

 

Região Nordeste – 19 de agosto – quinta-feira – 18h

 

Região Sul – 24 de agosto – terça-feira – 19h

 

Região Sudeste – 26 de agosto – quinta-feira- 20h

 

Região Centro-Oeste – 30 de agosto – segunda-feira – 20h30 (horário de Brasília)

 

Região Norte – 31 de agosto – terça-feira – 20h (horário de Brasília)

Jornalistas pedem vacina para quem está na cobertura diária da pandemia

Representantes do Sindicato dos Jornalistas de Juiz de Fora se reuniram, na manhã desta quinta-feira, dia 10 de junho, com a secretária de Saúde do município, Ana Pimentel, para reivindicar a inclusão da categoria nos grupos prioritários para vacinação contra a Covid-19. A titular da pasta foi receptiva às reivindicações dos profissionais e se comprometeu a consultar a Procuradoria Geral do Município (PGM) e o Governo do Estado a respeito da solicitação.

 

Os diretores do sindicato Maycon Chagas e Leonardo Costa, além da jornalista Marise Baesso, apresentaram os riscos a que os profissionais estão expostos no dia a dia da cobertura, relembraram casos de colegas acometidos pela doença e destacaram a insegurança diária para o trabalho fora das redações. “Reconheço que os jornalistas têm um trabalho essencial”, afirmou a secretária, ressaltando, porém, haver trâmites a serem seguidos diante da existência do Plano Nacional de Imunização.

 

Ana Pimentel se comprometeu a interpelar o Governo do Estado no sentido de viabilizar a inclusão dos jornalistas na vacinação prioritária em toda Minas Gerais. Durante a reunião, foi feito um cálculo aproximado pelo Sindicato de que cerca de 150 jornalistas estão ativos no mercado local e poderiam receber as doses. Em caso de atendimento à reivindicação, a Prefeitura deve definir balizas para identificar o profissional da ativa, definindo a necessidade de apresentação de documentos como registro profissional, comprovante de vínculo empregatício na área e registro de filiação ao Sindicato.

 

O encontro com a secretária em Juiz de Fora foi realizado na mesma semana em que acontece o movimento nacional pela vacinação dos jornalistas, liderado pela Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj). A profissão foi considerada essencial desde o início da pandemia no país, em março de 2020, sem haver, no entanto, inclusão dos trabalhadores na lista prioritária da imunização.

 

De acordo com dados levantados pela Fenaj, 155 mortes de jornalistas por covid-19 foram registradas este ano, até 2 de junho, o que representa a média de uma morte a cada dia. Um aumento de 277% na média mensal de mortes no comparativo com o ano passado. Estes dados fazem parte do Dossiê de Jornalistas Vitimados pela Covid.

 

Presidente do Sindicato dos Jornalistas Profissionais de Juiz de Fora, Renato Salles destaca que desde o início da pandemia a categoria está entre aquelas que seguiram em campo. “Independentemente do cenário, os jornalistas permanecem trabalhando para manter a população informada, algo tão necessário em meio à atual crise sanitária e em um cenário em que o negacionismo e as fake news trabalham pela disseminação do vírus e da Covid-19.” Renato ainda ressalta que o pedido é feito após a campanha municipal de vacinação já ter contemplado o início da imunização da população mais idosa, acima dos 60 anos, e também de toda população com comorbidades e deficiência com idade acima de 18 anos.

Telegram do Sindicato dos Jornalistas de Juiz de Fora

O Sindicato dos Jornalistas Profissionais de Juiz de Fora criou um grupo no Telegram para todos profissionais de comunicação do município. O canal é mais uma alternativa para os jornalistas se informarem sobre as questões envolvendo a categoria.  Os participantes poderão participar dar sugestões e realizar consultas sobre projetos e ações do sindicato.

 

Para ingressar no grupo, basta clicar AQUI

Abaixo-assinado digital pela vacinação de jornalistas contra a Covid-19

Em busca de ampliar o movimento pela vacinação de jornalistas contra a Covid-19, a Federação Nacional dos Jornalistas – FENAJ lançou, na sexta-feira, 21 de maio, abaixo-assinado digital pela imunização da categoria.

 

Estudo da FENAJ mostra que o Brasil é o país com maior número de mortes de jornalistas em decorrência da Covid-19. Até março deste ano, foram 86 vítimas, percentual 8,6% maior que no total de 2020.

Leia mais

FENAJ lança e-book “O impacto das plataformas digitais no jornalismo”

A Federação Nacional dos Jornalistas (FENAJ) lançou o e-book “O impacto das plataformas digitais no Jornalismo”. Fruto do trabalho de jornalistas e pesquisadores de diferentes áreas, com o apoio da Fundação Friedrich Ebert, a publicação reúne artigos que tratam do impacto político, econômico e cultural das mega corporações mundiais da internet no ecossistema jornalístico brasileiro, notadamente, das plataformas digitais de negócios e de redes sociais.

 

O livro tem o objetivo de traçar, de forma interdisciplinar, ao longo de sete capítulos, o retrato de como a internet está estruturada no país, seu impacto na contemporaneidade, as consequências da sua presença na sociedade e, especialmente, seu reflexo no jornalismo. A organização é do diretor de Relações Institucionais da FENAJ, José Augusto Camargo.

Leia mais